A maçã do pecado: Bem vindo, Apple //e

É com muita satisfação que agrego aos meus itens retrocomputacionais o ápice da história da informática… Ele foi o microcomputador que mais durou em toda a linha da Apple, e talvez tenha sido o microcomputador que mais resistiu ao mercado em todo o mundo. Apresento-lhes meu “velho novo” Apple //e:

Sempre tive uma forte tendência ao MSX e ZX Spectrum, provavelmente devido ao encontro mais marcante em minha infância através dos nacionais Hot-Bit e TK90X.

Como minha loucura por retrocomputação não tem preconceitos, de uns tempos pra cá ao estudar a arquitetura do Apple II comecei a ser tomado por um forte desejo em ter em minhas mãos um Apple de verdade, e quem sabe sentir a sensação “Apple II Forever(no fim do post você entenderá). Confira agora todos os detalhes deste primeiro encontro.

 

Abrindo a caixa do “novo velho” Apple //e

Para aqueles que não acompanham o site, já contei que importei este Apple //e através do grande amigo Mario Almeida, um pouco antes de vender meu TK 2000 para ele mesmo.

Foram quase 25 dias de espera com direito a enrolação na alfândega, certa demora nos correios e finalmente uma tributação que por mais que tenha doído no bolso, ainda achei justa em comparação com outras histórias que já ouvi por aí. Enfim, o pacotão chegou em casa e minha esposa já me olhou com aquela cara de “outra máquina de escrever”?

A caixa estava com um bom tamanho, só para comparar tirei a foto e coloquei uma caixinha fina de DVD em cima.

A fama que o Mario tem em caprichar nas embalagens não é para menos, além de muitos isopores no formato de “marshmallow” (hummm….), cada peça foi embalada separadamente com duas voltas em plástico bolha:

Ao abrir cada item, foi um espanto atrás do outro. Tudo estava em um estado tão intacto que parecia novo, não dava para acreditar que algumas placas tem mais de 30 anos.

 

Os itens da “caixa da alegria”

Ter apenas um Apple //e não basta, é preciso ter alguns componentes extras para tornar a experiência mais completa. Segue abaixo os itens que vieram na caixa:

Super Serial Card II – Apple – 1981: Placa para comunicação serial padrão RS-232, inicialmente pensada para uso em impressoras e modems. Atualmente pode ser utilizada para comunicação em terminais de textos e transferência de arquivos entre PC e outros microcomputadores, atingindo a velocidade de até 115.200 bits por segundo ao utilizar configurações não documentadas de registradores.

 

Placa AIIE – Apple – 1981: Placa que habilita o modo texto em 80 colunas e adiciona mais 64Kb de memória, resultando em 128Kb de RAM total no micro. Também possibilita o uso de novos modos gráficos de vídeo com maior resolução e mais cores.

 

Disk ][ Interface Card – Apple – 1978: Placa controladora de drives de disquetes 5 ¼, permitindo a presença de até dois drives simultaneamente.

 

Drive Disk ][ – Apple – 1978: É um drive de disquetes 5 ¼ com apenas uma cabeça de leitura, ao qual é necessário virar o disquete para ler cada um de seus lados de 140Kb de capacidade. Obs.: Escolhi este drive pelo seu design super retrô.

 

E como não podia faltar, logicamente… ELE:

Microcomputador Apple //e: Lançado em janeiro de 1983, o Apple //e foi o terceiro modelo da série “Apple II”. Através da combinação de sua expansibilidade e novos recursos, se tornou o primeiro microcomputador vendido como uma máquina para propósitos gerais, sendo também o micro de maior vida útil na história da Apple, fabricado por quase 11 anos com poucas mudanças na arquitetura.

 

Só por curiosidade, aproveite e dê uma olhadinha na placa mãe de meu Apple //e:

Imagine a alegria, ele parece novo até mesmo por dentro!

 

Versões do Apple //e

Um detalhe interessante é que este meu Apple //e é a primeira versão lançada, pois o gabinete lembra mais o Apple II+ e as letras do teclado são brancas, centralizadas e grandes.

Em 1984, um pouco mais de um ano após o lançamento do próprio Apple //e, foi lançado uma revisão estética que tornou as letras do teclado menores, escuras e com a centralização para o canto superior esquerdo, dando uma aparência mais profissional.

O gabinete teve sua constituição alterada para outro tipo de plástico e sua cor se tornou um bege levemente mais escuro:

Em janeiro de 1987 foi lançada a última versão do Apple //e, o Apple IIe Platinum. Sua placa recebeu algumas otimizações (mas sem mudança na performance) e sua estética externa se aproximou aos outros produtos da Apple na época, incluindo um teclado numérico e cor acinzentada:

O amigo Mario havia me oferecido também um maravilho Apple IIe Platinum, mas quando ele me mostrou as fotos da primeira versão do Apple //e, minha paixão retrô falou mais alto.

 

Um pouco de sorte sempre é bom

Como participo do grupo da Yahoo sobre Apple II, todos já sabiam da minha espera pelo pacote e de minha paixão por microcomputadores antigos.

Por pura sorte do destino consegui uma placa CFFA v1.4 , que foi negociada em uma troca parcial de jogos de Xbox 360. O que fiquei mais admirado é que estes jogos não tinham mais utilidade alguma para mim, pois chegaram em minha casa depois de 90 DIAS após serem comprados da Inglaterra, sendo que nem tenho mais o videogame e já tinha dado a encomenda como perdida. Sorte dupla!

Opa, você não sabe o que é uma CFFA? Então vamos lá…

A CFFA é uma placa criada por Richard Dreher que permite que sejam utilizados cartões CF como se fossem discos rígidos. A versão atual da placa é a cobiçada CFFA 3000, que além de permitir a utilização de cartões CF, também é capaz de emular drives de disquetes através de arquivos presentes em partições FAT32 e pendrives conectados a sua porta USB, além de possuir uma placa externa para controle dos discos emulados.

A placa que me foi oferecida é uma versão mais antiga (v 1.4), que apenas usa o CF como HD e tem uma porta IDE, mas acho que fui abençoado com uma imensa sorte, pois considerando que sou um usuário iniciante e futuro programador desta plataforma, já entrei neste ramo com o pé direito.

 

Mas como alegria de pobre dura pouco…

Antes de chegar a CFFA, comecei a tentar utilizar o software ADT Pro para passar algumas imagens de disco para os disquetes reais. Ao ligar os cabos de áudio (ainda não estava com o cabo serial), comecei a ouvir alguns estalos atrás do micro. Achei que fosse algum som vindo do speaker, mas então veio um cheiro muito forte de queimado e fumaça…

Simplesmente em menos de 1 minuto abri o gabinete, desconectei todos os cabos e desmontei a fonte, que mesmo desligada continuava a soltar fumaça… Fiquei pensando que só podia estar pegando fogo dentro dela, pois é totalmente fechada e estava fervendo, nem dava pra imaginar qual seria o estrago.

Meu coração estava na mão, mal fazia uma hora que estava curtindo meu “brinquedo novo” e pensei que já tinha feito algo errado. Felizmente através das mensagens de membros ilustres e mais experientes da comunidade, como Eduardo Luccas e Victor Trucco, fui consolado de que eu não fiz nada errado e este problema é esperado em um hardware antigo que nunca foi recondicionado.

Ao abrir a fonte vi que o problema estava apenas em um capacitor de proteção logo na entrada de tensão, ele derreteu e explodiu suas “entranhas” por toda a parte interna da fonte. Fiz algumas pesquisas adicionais e descobri que este componente já deu dor de cabeça para muitos usuários. Este é o dito cujo depois de removido da placa:

Deu um belo trabalho limpar a placa e a fonte usando álcool isopropílico, mas mesmo assim o cheiro demorou quase um dia para sair.

Rezei para encontrar algum modelo de capacitor similar na minha pequena cidade, e para minha alegria acabei por encontrar. Agora sim, a sorte voltou a estar ao meu lado.

Veja o capacitor amarelo novinho e todo feliz no meio dos “vovôs”:

Troquei a peça e tudo voltou ao normal, apesar de que posteriormente deverei trocar todos os capacitores eletrolíticos da placa, afinal, eles tem quase a minha idade!

 

Ei, eu quero jogar!

E lá fui eu carregar meu tão adorado Boulder Dash, quando então caio na real e percebo que a grande maioria dos jogos para Apple II exigem que um joystick esteja conectado.

Procurando na internet pelo projeto mais simples para criar algum tipo de adaptador, achei um que foi possível até encontrar todas as peças em minha cidade (milagre!):

Fiquei pensando inicialmente em fazer um conector DB-9 com o circuito todo dentro, mas quando imaginei aquele adaptador balançando atrás do micro a ideia não me pareceu interessante. Optei então em usar um soquete básico de 16 pinos e conectar diretamente no “Game IO” da placa mãe, que é um conector usado para manter a compatibilidade com o Apple II e Apple II plus.

Pois é, o circuito não é nenhuma obra de arte em capricho e miniaturização, mas na minha cidade não encontrei capacitores e trim-pots menores, na verdade tenho é que erguer as mãos para o céu de ter encontrado algo.

No fim das contas, depois de regulado, dentro da máquina até que a “adaptação técnica” fica discreta em seu cantinho:

Para o lado de fora não deu para ficar perfeito por enquanto, tive que usar uma arruela para segurar o conector devido a diferença de tamanho do DB-15 da gameport em relação a um DB-25. Em todo caso, o conector está firme e passa no “teste de qualidade”:

 

Sistema de arquivos

No meio de toda a jornada parei para ler em PDF o recomendado e excelente livro “Understanding the Apple IIe” (por Jim Sather), então descobri muitos detalhes sobre a evolução de software da plataforma, e também me deparei com algumas incompatibilidades e questões que eu teria que driblar para rodar jogos antigos através do cartão CF. Em todo caso, como adoro mexer em terminal de texto, para mim tudo isso é um maravilhoso passa tempo.

Também descobri o Davex, uma interface muito amigável e que tem comandos e utilização semelhantes ao shell do Linux, e ainda recentemente teve seu código fonte liberado como GPL, isso foi praticamente um presente dos deuses para mim:

Apesar das facilidades da versão do CFFA que tenho em mãos, entendo porque os entusiastas fizeram tanto alvoroço no lançamento da CFFA 3000. Deve ser uma “mão na roda” carregar as imagens de disco diretamente de um pendrive.

Como nem todos os jogos rodam pelo CF ou HD em minha CFFA, me contendo em carregar alguns jogos diretamente do disquete, e sinceramente, até gosto pois adoro ouvir os sons da cabeça de leitura de um drive tão antigo, para mim é a voz da genialidade de Steve Wozniak cantando em meus ouvidos.

 

Conclusão

Depois de dois dias para deixar tudo em ordem, consertar uma fonte, criar um adaptador para joystick, aprender a usar o CFFA como HD, organizar o sistema de arquivos, instalar e converter alguns jogos, passar imagens para disquetes e muitas outras “aventuras”, posso afirmar com todas as letras que a sensação em ter um verdadeiro Apple //e não tem precedentes.

Não vou comparar o Apple //e com outras plataformas a nível técnico, talvez seria até injusto, em todo caso, o que me admira é ver um microcomputador com um CPU de apenas 1Mhz sem nenhum hardware dedicado a vídeo e áudio, ser capaz de ir tão longe, seja na qualidade de seus programas ou seja em seu tempo de vida de produção e utilização.

Agora posso me considerar também um Applemaníaco de carteirinha, mas sem “xiitismo”.

Para aqueles que gostaram das imagens, abaixo segue o índice de meu álgum do Picasa com mais fotos e imagens em alta resolução:

 

Bônus!

Para quem não entende quando algum Applemaníaco diz “Apple II Forever“, esta expressão tem ligação direta a um vídeo promocional que foi transmitido em 24 de abril de 1984 no encontro “Apple II Forever”, que introduziu o portátil Apple IIc.

Nos dias atuais esta expressão passa a ter uma total sintonia aos fãs da plataforma, que dizem pretender mantê-la viva “para sempre”.

O vídeo chega a ser até meio engraçado hoje em dia, vendo aqueles efeitos visuais e música estilo “anos 80”, mas vale muito pelas fotos e introdução da história da Apple. Se você ainda não conhece ou não assistiu, vale os quase 4 minutos de exibição:

Eu ergui o som no talo, adoro música estilo anos 80… Ainda mais quando a voz da cantora me lembra a Pat Benatar.

APPLE II FOREVER!

 

21 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Realmente este Apple //e está surpreendente, e eu o vi pessoalmente. Está novíssimo, como se nunca fosse utilizado, retirado da caixa agora. As placas internas “brilham” pela ausência de poeira ou qualquer vestígio do decorrer dos anos. É uma aquisição que deve ser muito bem cuidada, pois trata-se de um equipamento raro diante do estado em que se encontra. Eu o vi em funcionamento, recebendo dados transferidos do PC, executando aplicativos e jogos, é fascinante.

    Resultado desse meu contato direto?

    Estou me esforçando para em breve receber um Apple //e Platinum, nos mesmos trâmites que veio o do Mauro. Já vi fotos, e sinceramente, não tem como não se apaixonar, desejar, necessitar de um equipamento desses.

    Logo logo vamos estar compartilhando softwares e experiências .. hehehe

    1. Eu disse, meu primo… O vírus de retrocomputação quando pega, é pior que pulga e carrapato, coça até você conseguir ter o micro que deseja.

      Ainda vamos programar juntos muitos softwares retrocomputacionais, pode ter certeza.

  2. Very nice man!!

  3. Mauro, parabéns pela aquisição, dá uma olhada nesse site, já inventaram uma maneira de “emular” o DOS 3.3 dentro do ProDOS – http://www.freedomalleystudios.com/appleslices/index2.html – []’s

    1. Opa, obrigado pela dica, mas já tinha acessado este site antes… Tenho virado a internet de ponta cabeça procurando o possível para aprender sobre esta arquitetura.

      Baixei e testei uma imagem com mais de 100 jogos em partições (volumes) diferentes do ProDOS para o cartão CF, peguei lá no fórum da CFFA. Sinceramente é uma solução, mas não gostei muito da abordagem. O DOS.MASTER é um bom software, mas ficar criando um monte de volumes é um pé… Quem sabe de repente se eu conseguir deslanchar na programação do Apple eu acabe fazendo algum front-end para ele a fim de tornar as coisas mais fáceis, se bem que já deveria existir um pelo tempo que ele existe.

      Vou preferir rodar o que puder do HD, tipo aqueles jogos com um único binário executável, e o resto rodo em disquetes por enquanto até poder subir para uma CFFA 3000, o que sinceramente nem estou me importando tanto porque o objetivo real é programar novos jogos, e que na sorte de ter uma CFFA de modelo anterior já está bom demais!

      Sabe, acho que estão faltando jogos novos para o Apple II, se bem que dá pra compreender isso, pois não é fácil extrair o potencial de uma máquina que tecnicamente não foi feita para jogos. Muitos jogos do Apple II, mesmo que para alguns pareçam simples, me surpreendem em saber os limites que são quebrados, como Gauntlet, Prince of Persia, Force 7 (com direito a música no meio do jogo!) e assim por diante.

  4. Excelente POST !!! Adoro micros antigos !!! Esse teu apple tá lindão !

    1. Obrigado, fico feliz que tenha gostado!

  5. Cara, voce precisa descolar uma placa de expansão de memória que vá naquele slot central (slot #3 no Apple IIe), pode ser uma de 64K que ja está ótimo. Com os 64K da motherboard mais 64K do Slot #3, voce consegue algumas coisas:

    1) Rodar jogos de 128K
    2) Rodar jogos que usam a DUPLA-ALTA resolução gráfica. Tem uma porção de jogo exclusivo de Apple IIe/IIc que usa esse modo gráfico exclusivo, porém o mesmo só é habilitado com essa expansão de memória
    3) Habilitar 80 colunas sem precisar de uma placa de 80 colunas (que normalmente são usadas apenas nos Apple II e IIplus)
    4) Voce tambem consegue rodar um aplicativo fodoncio chamado AppleWorks, que é uma suite integrada tipo o MS Office, só que para o Apple. Claro que é tudo em modo texto (80 colunas), mas tem editor de textos, planilha, banco de dados, etc.

    Abraços

    Carlão

    1. Olá, amigo.

      Ele já está com a expansão de memória, é a placa AIIE que coloquei no post. Eu não abriria mão em ter um Apple //e sem uma destas, ainda mais que a intenção é programar novos jogos.

      Abraços!

  6. Chuchu beleeeeeeeza. Parabens pelo brinquedinho!!!!! O negocio eh botar a mao na massa e viajar na programacao!!! =)))) Super fudeba!!!!!

    1. Estou rachando de estudar para acertar em cheio como irei programar algo para esta maquininha, porque para fazer um jogo da forma que desejo, terei que tirar leite de pedra.

  7. Muito bom, Mauro!!!

    Valeu amigo!!!

    Neo

  8. Opa….

    …excelente aquisição, apesar de eu não ser fã da Apple, mas para fins de retrocomputing é ótimo.

    Ah…sobre o 1Mhz do Apple, não se esqueça que os processadores da MOS Technology rodam a 1 Ciclo por instrução, enquanto que os Z80, por exemplo, rodam senão me engano a 4 ciclos por instrução em alguns casos, resumindo os MOS podem fazer “mais com menos”.

    Lógico que os Z80 tinham mais registradores e outras coisas que o faziam ter um certo destaque mas os MOS não deixavam a desejar não. Pretendo estudar mais sobre programação ASM para o MOS.

    Ah….uma pergunta, o seu amigo Mário tem um C64 pra vender ?

    Ele está no Brasil ?

    Qualquer coisa me manda um email indicando o Mario.

    []’s
    PopolonY2k

    1. Eu sei que o 6502, e ainda mais o 65C02, tem ciclos diferenciados em relação a arquitetura do Z80, tanto que um 6502 a 2 Mhz espanca um Z80…

      O que me admira não é exatamente a capacidade do CPU de forma isolada, mas sim imaginar que o Apple II não tem apoio através de hardware dedicado para as funções de vídeo e áudio, e mesmo assim consegue ir bem longe em muitas tarefas.

      Outros micros como o Atari 8 bits e C64, também usam o 6502 mas possuem processadores dedicados de vídeo e áudio, o que os torna máquinas mais poderosas para jogos, porém, a nível de softwares comerciais de qualidade para fins de produtividade, ninguém segurava o custo/benefício de um Apple //e na época.

      PS.: Te passei por e-mail o contato do Mario, aí você pode conversar diretamente com ele. O cara é simplesmente de outro mundo, muito gente boa.

      1. Isso….

        …é verdade, os Apple não tinham outros processadores dedicados como os C64, MSX e etc e o fato dele ir longe eu acredito que é devido a essa capacidade de processamento do MOS.

        Obrigado pelo email, vou enviar um email e conversar com ele logo cedo.

        []’s
        PopolonY2k

        1. Na verdade acho que o mérito não é somente do hardware, é mérito da Apple também.

          Fiquei imaginando se a Apple tivesse lançado um hardware semelhante a um Commodore 64, Amiga, MSX ou similares… Teria feito durar 10 anos ou mais da mesma forma.

  9. Fiquei um tempão sem ler a lista do Apple II, tenho todos os e-mails guardados. Tinha parado praticamente antes de vc começar a postar sobre o recebimento do micro. Que grata surpresa voltar a ler a lista e encontrar um post como esse.
    Parabéns pela aquisição e pelo belo relato!

    1. Obrigado! 😉

  10. Amigos, eu tenho guardado um apple IIe que adquiri em 1982, tem um monitor spectrum e dois drives slim.
    Outro dia tentei ligar mas não dá “boot”. Gostaria de saber quem poderia consertar. Programei muito nele.
    Grande máquina. Aguardo notícias

    1. Entre em contato com o Victor Trucco, de repente ele pode te dar uma força.

  11. Eu fiz uma conta aqui só pra lhe perguntar, qual o nome desse jogo? Que aparece na tela.. kk

Deixe uma resposta