Avaliação: MyIDE para Atari XL / XE

É fato que a plataforma de microcomputadores Atari 8 bits possui jogos interessantes, que nos remetem uma sensação de “Atari 2600 modernizado”. Pois bem, para termos uma experiência plena com esta máquina podemos optar pelo método clássico de carregamento através de fitas cassete ou disquetes, ou é possível utilizar soluções mais modernas e rápidas.

De uma série de dispositivos para a plataforma, escolhi o que me pareceu oferecer o melhor custo benefício: a MyIDE.

Neste post farei uma avaliação desta solução na versão de cartucho externo, bem como irei explicar alguns detalhes importantes para aqueles que desejarem adquiri-lo.

 

Histórico

A MyIDE começou a ser desenvolvida em 1999 pelo usuário auto denominado “Mr. Atari” com o propósito de criar uma interface IDE amigável e de baixo custo para os microcomputadores Atari 8 bits, com um esquema relativamente simples para que outros pudessem replicar o projeto para uso pessoal.

Como nem todos tem a paciência (ou o dom) para executar este esquema, o site AtariMax se tornou o produtor e vendedor oficial da solução, que diga-se de passagem oferece ótimos produtos não só para microcomputadores Atari, bem como para consoles como o ColecoVision e o Atari 5200. Vale a pena conferir o site.

O interessante da interface oferecida pela AtariMax é que está incluído uma memória flash de 1 Megabit (128 Kbytes), que pode ser regravada inúmeras vezes e utilizada para carregar softwares e sistemas que facilitam o uso da interface IDE.

A MyIDE vendida comercialmente está disponível em duas versões:

Interna: É composta de uma placa que deve ser instalada dentro no micro, exigindo um pouco mais de experiência do usuário em sua colocação, mas como vantagem propõe uma solução compacta, sem peças externas.

Externa: É a solução em forma de cartucho, sendo recomendada para aqueles usuários que preferem simplesmente “ligar e usar”, com o benefício de poder ser utilizada em outros micros caso a pessoa tenha mais máquinas da mesma plataforma. Obs.: Foi este modelo que comprei e estou avaliando, mas a caixa é azul transparente, conforme a foto no início do texto.

No caso do cartucho a AtariMax também oferece a solução completa com um módulo de memória compacto já inserido na porta IDE. Pode ser um esquema interessante para quem deseja a solução externa, mas ocupando o mínimo de espaço possível.

 

Primeiras impressões

A negociação foi super tranquila com a AtariMax, e ainda por cima o Steve Tucker (responsável pelo site) foi cordial a ponto de manter o valor declarado do produto + frete abaixo dos US$ 50.00 a meu pedido (todos sabemos o porquê).

Infelizmente nem tudo são flores, foram mais de 90 dias para que a MyIDE chegasse até minhas mãos. De forma alguma isso é culpa da AtariMax, afinal, não dá para reclamar deste tempo com uma taxa de apenas US$ 5.00 para envio.

Quando chegou o pacote, achei a embalagem devidamente protegida e o cartucho é bonito, só faltou um pouquinho de acabamento no corte da passagem do conector IDE, mas nada que desmereça a qualidade do produto.

Não posso dizer que fica muito bonito o cartucho ligado atrás do micro em conjunto com um adaptador CF-IDE, talvez teria sido mais interessante eu ter adquirido a solução com o módulo compacto já instalado na porta IDE.

A vantagem é que o cartucho oferece a alimentação de 5V através do pino 20 da porta IDE, portanto, se o adaptador CF-IDE tiver este recurso, é algo a menos a se preocupar.

 

Problemas na primeira utilização

Eu estava ciente de que o software incluído na memória flash da MyIDE era uma versão mais antiga (3.5F), mas também considerada estável, porém, não me agradou sua utilização por diversos motivos:

  • Particionamento em formato proprietário da MyIDE, que se divide em partições que simulam drives de até 16Mb e outras pequenas partições para simular imagens de disquetes
  • Necessidade da utilização de alguns softwares para a manipulação das imagens e partições
  • Incompatibilidade acentuada devido ao sistema ser intrusivo na utilização da memória, conflitando com a grande maioria dos jogos (explicarei adiante)

Enfim, nos primeiros dias bati muito a cabeça e quase me desanimei da MyIDE.

Pesquisando no fórum da AtariMax, e lendo detalhadamente as documentações, percebi que a MyIDE interna e externa tem uma diferença substancial em seu funcionamento.

A MyIDE interna carrega a memória flash a ponto de substituir o sistema do microcomputador como se fosse uma nova ROM, sem invadir regiões da memória RAM, que é responsável pela execução dos softwares.

Já a MyIDE em formato de cartucho, faz a chamada da memória flash e carrega o sistema em memória RAM, o que pode ser um problema, pois se o jogo invadir esta região a máquina poderá travar ou apresentar outras anomalias.

Tentei utilizar as partições de disco simples, tentei a execução de softwares de carregamento (MyPicoDos) em partições de 16 Mb, e nada feito, grande parte dos jogos não rodavam.

Ao analisar os procedimentos para atualização da memória flash interna do cartucho, a fim de testar versões mais recentes do sistema, me deparei somente com instruções para atualização utilizando a porta serial (SIO), seja usando um drive de disquetes ou o próprio PC através do SIO2PC, algo que não me agradava já que eu queria apenas atualizar a memória flash do cartucho, nada mais.

Em um ato desesperado, resolvi carregar um disco simulado na partição de disco da MyIDE, utilizando um software de gravação da memória flash com a última versão beta do sistema. Isso era arriscado, pois se no meio da utilização do software, se alguma região do sistema fosse sobrescrita a máquina poderia apresentar problemas, aí eu definitivamente iria precisar de outra solução externa para regravar a memória flash. Em todo caso, eu estava disposto a arriscar…  E DEU CERTO!

 

Atualização da memória flash da MyIDE, utilizando ela mesma

Tentarei em texto, com algumas poucas imagens, dar o máximo de detalhes possíveis, conforme postei no grupo Atari8bits da Yahoo. Vamos lá:

1) Registre-se no fórum da AtariMax (é rápido e gratuito)

2) Entre no tópico referente a MyBIOS 4.7.

Use o arquivo referente ao Update 4.7.06, ao qual o arquivo pode ser obtido aqui. O nome do arquivo ATR depois de descompactado é este:

Mybios47f (maxflash image).atr

3) Para gravar você precisa particionar o seu cartão CF diretamente na MyIDE usando o firmware que veio (o 3.5F), então faça apenas uma ou duas partições, depois vá em “Options” e escolha a opção para dar boot em modo “Image“, e também na opção “Image“, escolha a parte Hi. Cyl o número 2 (para o modo Image ir após o cilindro 512). Entre em “Exit” e não esqueça de salvar.

4) Agora baixe e use o software MyIDE Drive Manager.

Coloque o seu cartão CF no PC (aqui usei um adaptador USB multicard genérico).

Depois abra o software, escolha seu cartão CF, vá na aba “Image” e clique no slot 1, depois escolha o arquivo ATR do MyBios47f, salve e feche o programa.

5) Coloque o cartão CF na MyIDE, ligue o micro e aperte o botão Start simultaneamente com o número 0.

6) Agora o sistema deverá entrar no modo de imagem, então escolha a imagem 1 (que você gravou a MyBIOS47F) e pressione o botão do joystick.

7) Irá aparecer uma mensagem (parecida ou igual a imagem abaixo), pressione Y para prosseguir. NÃO DESLIGUE O MICRO ATÉ TERMINAR!

8) Quando terminar, se ocorrer tudo bem o micro irá perguntar se deseja reiniciar o programa, pressione Y só para ver se volta para a mesma tela e ver se o teclado responde, em caso positivo, desligue o micro e ligue-o novamente.

9) Você deverá então ver a tela do novo sistema MyBIOS.

Os números 0 a 9 executam jogos e outros programas já gravados. Se pressionar Start você pode entrar no modo de imagem de disco, que continua exigir partições avulsas para cada disco.

Mas a grande vedete desta MyBIOS é ao pressionar a tecla S para iniciar o modo SIDE, ao qual irá acessar seu cartão CF (formatado em FAT32!) e irá carregar os arquivos “.xex” e “.com” tranquilamente.

10) Por fim, os jogos separados corretamente e com tudo prontinho peguei aqui. Basta descompactar os diretórios DISK1 a DISK4, colocar tudo na raiz do cartão CF e ser feliz.

 

MyIDE com MyBIOS 4.7, agora sim!

Puxa vida, depois do susto e decepção com o sistema na versão 3.5F, ao atualizar para a versão 4.7 a diferença é gritante.

Apesar de ao tentar utilizar o modo de simulação de discos através de partições ainda não ser muito prático, o recurso para carregar arquivos de partição FAT32 é maravilhoso. Basta selecionar o jogo e pressionar o botão do joystick, simples e muito rápido, o carregamento é quase instantâneo.

Como meu Atari 65XE possui apenas 64Kb, há o empecilho de alguns jogos não rodarem, principalmente aqueles executáveis que são na verdade arquivos de discos convertidos e que se descompactam completamente na RAM ao serem carregados.

Creio que a MyIDE com esta MyBIOS, em um Atari 8 bits com 1Mb de RAM, se torne uma solução praticamente imbatível, sendo possível carregar qualquer arquivo executável, seja um demo moderno ou conversão de disco, sem o menor problema.

E afirmo que mesmo com 64 Kb de RAM, mais de 90% do que testei rodou tranquilamente, apresentando uma realidade atraente e afastou o fantasma da versão 3.5F que veio originalmente no cartucho.

 

Aproveitando, que jogos rodaram bem com apenas 64 Kb de RAM?

Imaginando um micro Atari 8 bits básico com apenas 64 Kb (Atari 800XL e 65XE), achei interessante listar alguns títulos legais e que valem uma atenção especial. Obs.: Os links dos jogos no YouTube não são de minha autoria.

Clássicos da época

E alguns jogos que foram desenvolvidos anos depois, ou clássicos que receberam um update:

Do “pacotão” que recomendei (veja o décimo passo da atualização da MyIDE), são mais de 3000 jogos, então seria impossível eu testar tudo para dar mais recomendações, mas creio que estas já são suficientes para começar a diversão.

 

Conclusão

Fiz todos os testes possíveis até chegar a um veredito maduro em relação a MyIDE em cartucho, mas adianto que não posso tecer comentários com relação a versão interna da solução, que provavelmente deve ter alguma diferença significativa.

Após a atualização do sistema a MyIDE externa se demonstrou madura, completa, de fácil utilização e principalmente apresenta um custo benefício fantástico.

Considero esta solução imprescindível a qualquer entusiasta do Atari 8 bits, e se um dia você pensar em ter um micro desta plataforma, já encomende antecipadamente sua MyIDE, para quem sabe você dê a sorte de receber ambos os equipamentos em datas próximas, porque esperar pela MyIDE realmente foi a única coisa que me incomodou em toda esta experiência, o resto foi pura diversão.

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Como sempre um ótimo post !

  2. Mais um ótimo post!

    A minha aqui morreu quando tentei atualizar para a BIOS SDX. Mas já estou dando um jeito nisso e logo ela voltará a vida!

    Abs,
    Daniel

    1. Puxa, que chato…

      Testei antes a BIOS SDX no emulador e não gostei muito, apesar de saber que ele é bem poderosa e preferida entre os entusiastas mais hardcore. Ainda bem que não me aventurei a atualizar para ela.

      Quando resolver o problema, nos avise o que achou da SDX.

  3. Belo post… Estou namorando uma há horas, já tem até MyIde II agora… vou por num Atari 130XE q comprei no uruguai….só tenho que repara a membrana do teclado….dá lhe tina de prata!

    Abraços, Oscar

    1. Olha, é um ótimo investimento, e a MyIDE II com memória Flash extra deve ser show de bola!

Deixe uma resposta