Old but GOLD! – Trilogia “Shadow of the Beast”

Agora vou tocar em um nome considerado o “amuleto sagrado” dos fãs da plataforma Amiga. Alguns destes mesmos fãs consideram apenas o primeiro título digno de nota, mas quem afirma isso não percebeu que o enredo se trata de uma trilogia, afinal, você assistiria apenas um episódio de “Star Wars”  e diria que entendeu a saga completa?

Este é o famoso “Shadow of the Beast”, um jogo que mostrou do que um mero Amiga 500 é capaz. Sua qualidade gráfica marcou a época, antes dele não existiam jogos para microcomputadores capazes de exibir uma movimentação de tela com tantos planos de cenário se deslocando de forma independente ao mesmo tempo. O efeito de profundidade ainda é de saltar os olhos.

.

.

Histórico do jogo

Shadow of the Beast em sua versão original foi desenvolvido pela Reflections Interactive e lançado pela Psygnosis em 1989 para a plataforma Amiga. Em seu lançamento o preço do jogo foi considerado alto em relação aos outros títulos da época, em compensação o jogo vinha com uma camisa com a arte da caixa estampada.

 

A primeira versão

Apesar de existirem outros títulos de ação similares na época, Shadow of the Beast se destacou principalmente por seus gráficos, exibindo uma grande quantidade de cores com até 20 planos de deslocamento de cenário ao mesmo tempo (parallax scrolling).

As musicas dão um show a parte e foram compostas com amostras de instrumentos em alta qualidade.

O título original conta a história de um homem chamado Aarbron que foi capturado quando criança e transformado em um guerreiro monstruoso, servo de Lord Maletoth. Aarbron recobra parte de sua consciência humana ao ver um homem sendo executado, ao qual depois se recorda de ser seu pai. Isso faz com que Aarbron busque por vingança, e é neste momento que entra você no controle do personagem.

A jogabilidade é precisa porém a dificuldade é acentuada até mesmo para os jogadores hardcore. Apesar de ser um bom jogo ele não é recomendado para “meros mortais” que gostam de casualidade. Seus reflexos serão testados do começo ao fim, e para quem nunca jogou o título, não será difícil nas primeiras tentativas você sequer passar do início.

Se quiser pode conferir um pouco da jogabilidade agora, ou se tiver uma paciência acima da média pode também assistir a jogatina completa do começo ao fim, graças aos esforços dos usuários do site “recordedamigagames.org“:

 

Shadow of the Beast II

Em 1990 é lançado a continuação da história do herói do primeiro título, que agora está em uma forma meio humana e procura por sua irmã sequestrada por um dos servos de Maletoth.

Nesta sequência você tem contato com outros seres que irão lhe ajudar na jornada, mas não ache que isso facilita em algo, pelo contrário, na versão do Amiga não há como continuar se você morrer e ainda por cima há alguns enigmas que você só tem uma única chance de resolver, isto é, se algo der errado você é obrigado a recomeçar desde o início (WTF?).

Outro ponto que também torna a coisa complicada (MAIS AINDA??) é que há áreas abertas que você pode seguir livremente sem ter obtido alguns itens que serão necessários adiante. Imagine a raiva em descobrir isso depois e ter que voltar tudo novamente?

Pois é, na versão de Shadow of The Beast 2 do Amiga não há espaço para erros, algo que foi muito criticado na época e foi corrigido posteriormente somente em versões portadas para outras plataformas.

Os gráficos continuam bons, mas não há mais aqueles efeitos visuais com grande quantidade de planos simultâneos. Em todo caso, a trilha sonora continua fantástica.

Segue abaixo a jogabilidade completa de Shadow of The Beast II do Amiga, quem sabe você se anima para repetir a proeza?

 

Shadow of the Beast III

O capitulo final da saga é lançado em 1992 e mostra Aarbron finalmente com feições humanas, mas para conseguir se tornar completamente humano ele deverá derrotar Maletoth de uma vez por todas.

Este capítulo não conseguiu atingir o mesmo destaque dos anteriores, apesar dos reviews positivos da época, apontando como vantagens a jogabilidade mais acessível e dificuldade moderada.

Shadow of The Beast III conta com quatro estágios distintos e uma grande área. Desta vez a ênfase não ficou na ação ininterrupta dos títulos anteriores, mas sim em atividades que exigem mais raciocínio. Isso não significa que seus reflexos e habilidade não serão exigidos em várias partes do jogo.

E para complementar, segue mais um vídeo da jogabilidade completa do último capítulo de Shadow of the Beast:

.

 

Versões em outras plataformas (ports)

Shadow of the Beast ganhou uma quantidade imensa de ports, alguns são a “sombra da besta” literalmente (pegou a piadinha?), outros tiveram algumas supostas melhorias, sejam na música, quadros adicionais de animação, mais cores etc. Mas ao meu ver, e na opinião dos fãs, a versão definitiva do jogo é a do Amiga.

A primeira versão de Shadow of the Beast ganhou ports para as seguintes plataformas (além do Amiga):

  • Amstrad CPC
  • Atari Lynx
  • Atari ST
  • Commodore 64
  • FM-Towns
  • PC-Engine TurboCD
  • SEGA Mega Drive / Genesis
  • SEGA Master System
  • SNES
  • ZX Spectrum

Algo curioso a ser notado é que a versão norte americana do Mega Drive foi considerada a mais difícil de todas devido a um erro na migração do padrão PAL para NTSC, acelerado o sistema de 50Hz para 60Hz sem ajustar a temporização, tornando o jogo cerca de 16,7% mais rápido e DIFÍCIL. A versão japonesa além de ter corrigido este problema, a dificuldade foi reajustada e os gráficos foram aprimorados, isso mesmo, um mesmo videogame teve o mesmo jogo com gráficos diferenciados, coisa que também aconteceu com o título Castlevania III do Nintendinho.

Em contraste com a primeira versão, Shadow of the Beast II recebeu poucos ports, entre eles para o Atari ST, FM-Towns, Mega Drive / Genesis e SEGA Mega-CD, onde também ocorreram alguns ajustes na dificuldade, músicas e gráficos.

A terceira versão do jogo infelizmente até foi cogitado a portagem para Mega Drive, mas isso não aconteceu, ficando portanto como um jogo exclusivo para a plataforma Amiga.

Se quiser conhecer todos os ports existentes para o primeiro Shadow of the Beast, assista o vídeo abaixo:

 

Conclusão

A trilogia Shadow of the Beast mostra uma saga épica de um herói buscando sua humanidade e nos presenteia com uma majestosa composição gráfica e musical.

Concordo com os fãs e considero também a versão definitiva sendo a original do Amiga, e afirmo isso pois já joguei as outras versões e apesar de algumas melhorias, seja na dificuldade, música ou gráficos, nenhuma consegue abraçar o “pacote completo” em toda a sua glória.

Infelizmente a jogabilidade em sua plataforma original pode afastar os entusiastas menos persistentes, se este é seu caso não pense duas vezes, use códigos de trapaça sem a menor vergonha na cara e curta sem medo esta trilogia imperdível.

Está esperando o quê? Shadow of the Beast é old but GOLD!

 

Fontes:

  • Os vídeos não são de minha autoria, os créditos estão presentes neles mesmos.
  • Partes deste post foram traduções livres de Shadow ot the Beast na Wikipedia.

17 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Salve meu amigo!
    Parabéns mais uma vez pelo review. Parece até que eu estou lendo uma revista especializada na época do lançamento, só que com mais detalhes :).
    Muito bom mesmo!
    Não conhecia a história do jogo, era um dos que eu gostava de exibir para os meus amigos, principalmente a abertura do primeiro título, mas eu nunca consegui ir muito longe.
    Serei obrigado a recorrer a alguns códigos de trapaça e tentar mais uma vez, ou algumas vezes… rsrs
    Grande abraço!
    Ritcho/RJ.

    1. Shadow of the Beast é um jogaço, mas só consegui ir longe no terceiro.

      O 1 e 2 no Amiga só mesmo com cheats. Conheci só uma pessoa que terminou o primeiro no Amiga, e mesmo assim foram semanas treinando e decorando onde os inimigos aparecem.

      Hoje tem os “Long Plays” no YouTube, isso já ajuda a ver um “detonado” antes de encarar as vias de fato 😉

      Abraços!

  2. Eu joguei MUITO o primeiro no amiga. Chegava no fim praticamente sem levar hits. Por muito tempo foi o meu jogo preferido no amiga, pq esse realmente tinha qualidade de console dos melhores. Tudo caprichado demais, audio e gráficos de primeira, mas era dificil pacas, decoreba total. Infelizmente qdo as sequencias sairam eu já não tinha mais o amiga, só conheci pelos emuladores ou visitando amigos. Embora as sequencias sejam primorosas tb, ainda acho o primeiro o que marcou.

    1. Pra você ver… Tem gente que diz que não dá pra terminar, mentira, meu amigo dizia a mesma coisa, é decorar mesmo e ter o reflexo afiado.

      O SotB 2 já muda um pouco, tem parte que se perder o ritmo você morre fácil, e volta do início… Sem contar os puzzles, muitos se não souber dificilmente você passa de primeira.

      Acho que isso faz parte do estilo dos jogos mais antigos, que você não levava 10 a 20 horas pra terminar, então eles pegavam mais pesado no desafio, o que sinceramente, faz parte da magia 😉

  3. Esse foi o primeiro game pro Amiga que eu ví… nem sei descrever o quanto eu fiquei deslumbrado… só sei que não acreditava no que eu estava vendo… imagine isso na época em que o melhor grafico que eu conhecia era do MSX 2.0… até hoje, pra mim, é a trilha sonora para um game mais perfeita que já vi/ouvi…

    Abs.

  4. Mauro, você sabe o cheat pro Shadow 1?
    Eu tento os 2 que vi na net mas nada funciona… 🙂
    Tô rodando via whdload… tem um macete aí?
    Ô joguinho que não passo 5 minutos vivo… 🙁

    1. Tente um destes métodos, você precisa ser EXATO no tempo de execução, caso contrário NÃO VAI DAR CERTO, ok?

      Método 1: Segure o botão 1 do joystick e o botão esquerdo do mouse JUNTOS quando a última tela de introdução aparecer enquanto o jogo estiver carregando. Segure-os até que a mensagem de troca de disco apareça. Se fez corretamente, deverá ficar INVENCÍVEL.

      Método 2: Assim que você começar o jogo, corra para a direita até que você encontre o primeiro pigmeu, não lute com ele, mas apenas pergunte sobre o “Ten Pints”, isso lhe tornará indestrutível.

      Observação: O método 2 deverá ser mais fácil para você que está usando o WHDLoad, pois no método 1 você terá que ser mais rápido e preciso pois o jogo carrega rápido no HD. Rodando via disquetes (ou emulador de disquetes) o método 1 é fácil de fazer.

      1. Então… esse método 2… como que eu pergunto algo ao pigmeu? 🙂 Isso que eu não entendi e não consigo fazer. hehe. Valeu.

        1. Opa, procurando em vários lugares, TODOS dizem que isso é um cheat code do Shadow of The Beast 1, mas olhando no Wikipedia em inglês, apenas lá menciona que este mesmo “método 2” de cheat code é do Shadow of the Beast 2…

          Na época eu terminei usando um trainer da versão em disco, não do WHDLoad (nem existia isso).

          Fui ver se o install do SOTB 1 para o WHDLoad diz se tem algum cheat, e descobri que dependendo da versão se apertar F1 sua energia fica infinita, mas se cair em algum abismo ficará preso e terá que recomeçar do zero.

          Me avise sobre o resultado.

            • Alexandre em 13 de dezembro de 2011 às 19:13

            Mauro! Testei o F1! Funciona em partes… hehe. Ele liga e desliga a invencibilidade.
            Mas… quando chega um chefão, tipo… cheguei no chefão da fase da árvore (2 caveiras dentro de uma mandíbula) a invencibilidade acaba. Uma encostada e já era. Morte instantânea. 🙂

          1. Nossa… Aí é sacanagem, heim?

  5. Aqui vai uma dica pra todos os jogadores das antigas, entrem neste site e la vcs encontraram tudo o que precisam a respeito de informacoes e cheats sobre os jogos antigos e novos de todas as plataformas: http://www.gamefaqs.com/

    O site esta em ingles, e recomendo um pouco de paciencia pois, tem muita coisa a ser vasculhada, ideal para nos curiosos.

    Espero ter ajudado a quem precisa.
    Obrigado e valeu

  6. Adorei esta review desta fantastica trilogia,
    esta super detalhada e o melhor esta totalmente em portugues, o que ajuda muito aqueles que nao curtem sites em ingles.

    So para complementar aqui vai um site que com certeza agradara a maioria dos super Fanaticos desta serie: http://amigamuseum.emu-france.com/Fichiers/sites/sotb/

    esta em ingles ou frances e algumas coisas so em frances, mas la vc encontrara musicas, fotos, isos, roms de todas as versoes desta serie, incluindo macetes, mapas, e guias de como zerar os jogos. Inclusive um REMAKE
    para PC otimo, porem ainda eh so um Demo
    jogavel e incompleto, vale a pena checar.

    Se vc gosta de musicas da linha Commodore AMIGA, entao vcs vao adorar este site:
    http://www.amigaremix.com/

    neste site vcs so irao encontrar downloads de MP3 remixadas dos melhores jogos de AMIGA,
    algumas musicas pra mim ficaram inacreditaveis.

    Obrigado a vc criador deste site, espero que
    estas informacoes lhe sejam uteis, sao um pouquinho velhas mas acho que muita gente
    ainda nao viu.

    Obrigado.

    1. Obrigado pelos comentários, e fico feliz que tenha gostado do review.

      Deverei retomar com mais ênfase estas sessões daqui em diante, pois o retorno está sendo positivo.

      Obrigado pelos links, tanto eu quanto os frequentadores do site irão gostar.

      Abraços.

  7. Oh Deus! Nem acredito! Não estou só nesse planeta!
    Cresci acompanhando a evolução dos computadores e Shadow of the Beast marcou minha vida e mudou meus padrões depois que vi e absorvi toda a cultura que ele me trouxe com o saudoso Amiga.
    É bom saber que tem mais gente que curtiu e aproveitou essa época.
    Parabéns pelo review!

    1. Obrigado!

  8. O conceito de Shadow of the Beast como um todo é fantástico! Jogo muito a frente do seu tempo, pena que os ports na maioria das vezes, capados, deixaram a sua concepção original meio apagada.
    Sempre vi a trilogia Shadow of the Beast como um conto de terror onde você sofre na pele do protagonista. OBRA PRIMA!!!

Deixe uma resposta