RetroPie: Configurando uma “torta retrô” sabor framboesa

Várias pessoas me perguntam o que fazer com um Raspberry Pi, e continuo afirmando com todas as letras que as possibilidades são quase ilimitadas.

Mas se a pergunta vem de alguém que curte jogos, principalmente a época áurea dos consoles e arcades de 8 / 16 bits, neste caso respondo: “Que tal jogar SNES em uma TV, exatamente como um SNES?“.

Por causa desta proposta, muitos amigos acabaram encomendando seu Raspi só para curtir jogos antigos em televisores, e garanto que a experiência é a mais convincente possível.

E para você que já tem esta incrível máquina mas não gosta de “meter a mão na massa”, que tal pegar a coisa pronta e curtir esta “torta retrô” o mais rápido possível?

Curiosidade: Antes que alguém me pergunte o teor do título deste post, vamos nos lembrar da brincadeira em torno do nome “Raspberry Pi”, onde a palavra “Pi” tem significado ambíguo, que em sua escrita é referente ao símbolo matemático Pi (π), e na pronúncia britânica se assemelha com a palavra “torta”, portanto, ao dizer “Raspberry Pi” no Reino Unido temos a mesma pronúncia que “torta de framboesa”.

 

Introdução: Vai um pedacinho de torta aí?

É fato que o Raspberry Pi tem um longo caminho pela frente, pois todos os dias estão surgindo projetos incríveis, seja de software ou hardware, para utilizá-lo das mais variadas formas.

No quesito de script facilitador para emuladores, o site PetRockBlog saiu na frente e mantém o script chamado “RetroPie“, que é uma mão na roda, valendo tanto para usuários experientes ou para quem gosta da coisa pronta.

E não bastou o script facilitador, o PetRockBlog também lançou um case bem descolado que inclui duas portas que podem ser utilizadas para ligar conectores do console SNES a fim de usar os controles originais.

Quer mais? Então dou mais um ponto positivo ao PetRockBlog, que também criou um projeto para adaptar os mais diversos tipos de controles diretamente na porta GPIO do Raspberry, atualmente incluindo os controles dos consoles NES, SNES, PSX, N64 e Game Cube.

 

Vamos colocar a torna no forno…

Antes de começar, gostaria de esclarecer que muitas instruções e recomendações aqui expostas são baseadas em traduções livres de páginas do github referentes ao projeto RetroPie, e todos os créditos pertencem ao PetRockBlog. Aqui a intenção não é copiar, e sim divulgar e traduzir em português este excelente trabalho. Adicionei e editei algumas coisas que considerei necessárias conforme minha experiência, mas não me dou crédito algum neste sentido.

Enfim, o RetroPie é um script que configura diversos emuladores, incluindo vários núcleos do RetroArch e uma interface gráfica chamada Emulation Station.

O script é testado e certificado para a distribuição Raspbian (mas não quer dizer que não possa vir a rodar em outras, talvez com pequenas adaptações).

Antes de utilizar o script, tenha certeza de que você executou o “raspi-config” e já fez o processo de expandir o sistema de arquivos para ocupar todo o seu cartão SD, além de modificar a divisão de memória para ter 64 ou 128 Mb de RAM para o GPU. Para resolver isso, basta executar:

sudo raspi-config

Antes de rodar o script de configuração do RetroPie, verifique se sua lista de repositórios está atualizada e os pacotes dos softwares “Git” e “dialog” estão instalados:

sudo apt-get update
sudo apt-get upgrade -y
sudo apt-get install -y git dialog

Agora você pode efetuar o download da última versão do script RetroPie:

cd
git clone git://github.com/petrockblog/RetroPie-Setup.git

O script pode ser executado com os comandos abaixo:

cd RetroPie-Setup
chmod +x retropie_setup.sh
sudo ./retropie_setup.sh

Mas antes, saiba que algumas opções podem ser passadas ao comando do script configurador retropie_setup.sh.

O diretório de instalação por padrão é /home/USUARIOATUAL/RetroPie, onde o “USUARIOATUAL” é o diretório home do usuário corrente do sistema. Você pode portanto chamar o script de configuração de acordo com o usuário que desejar (e já tiver criado), em meu caso eu utilizo o usuário “pi” padrão para evitar usar o root:

sudo ./retropie_setup.sh pi

Você também pode mudar o diretório padrão da instalação, com a seguinte sintaxe:

sudo ./retropie_setup.sh USUARIO CAMINHO

Assim a instalação será efetuada no CAMINHO para o seguinte USUARIO.

Ao executar o script você deverá ver a seguinte tela, ou semelhante:

As opções disponíveis são:

  1. Para maior velocidade e facilidade, recomendo esta opção, que baixa um pacote com os emuladores já compilados e prontos para uso (mas sem ROMs, obviamente).
  2. Se você quiser testar a última versão de cada emulador, esta opção irá compilar cada núcleo individualmente, mas prepare-se, o processo levará horas para ser concluído.
  3. Veja abaixo.
  4. Reinicia a máquina.

Na opção Setup, você deverá ver a seguinte tela, ou semelhante:

  1. Reconstrói o arquivo de configuração do Emulation Station
  2. Instala o último firmware do Raspberry Pi
  3. Coloca as ROMs em ordem alfabética e cria subdiretórios para cada letra
  4. Habilita a inicialização do Emulation Station no boot
  5. Muda o clock do CPU ARM
  6. Muda o clock da RAM
  7. Instalada ou atualiza o driver para os controles via GPIO
  8. Habilita o driver GPIO para controles de SNES e já deixa configurado
  9. Baixa a capa de cada jogo disponível (pode levar horas!)
  10. Gera um log para debug

No caso da opção 9 (Run “ES-Scraper”), antes de pedir para o sistema baixar a capa de cada jogo, tenha certeza de que suas ROMs estão com os nomes oficiais, ao qual recomendo as ferramentas padrão “GoodROM” para renomear, caso contrário alguns títulos ficarão sem capa no meio de outros com capa, e sinceramente, fica bem feio.

Não recomendo as opções 5 e 6 referentes a alteração dos clocks da máquina, acho mais prudente a utilização do “raspi-config“, pois você terá a certeza de que você não irá quebrar a garantia na utilização de um overclock fora do padrão.

Um detalhe importante é que você precisará reiniciar seu Raspberry se o seu firmware for atualizado durante o processo.

 

Hum… A torta está ficando cheirosa, hora de colocar mais recheio!

Acredito que ninguém aqui seria inocente a ponto de achar que o script do RetroPie forneceria quaisquer ROMs para os emuladores, não é mesmo? Então está na hora de colocar a casa no lugar.

Se você tiver alguma distribuição Linux recente instalada em seu PC (ou máquina virtual), recomendo que desligue o Raspberry Pi (use o comando halt) e use o cartão SD em seu PC para acessar os diretórios.

Neste exemplo, irei supor que instalei o RetroPie usando o usuário padrão “pi”, que na verdade é a configuração que utilizo por aqui.

O diretório base é /CAMINHO/RetroPie/roms, que no meu caso é:

/home/pi/RetroPie/roms

Dentro deste diretório chamado “roms”, há uma pasta para cada console, ao qual você deverá colocar as ROMs que possuir. As extensões aceitas pelo Emulation Station conforme a plataforma são:

  • Atari 2600: .bin
  • Doom: .wad
  • Game Boy Advance: .gba
  • Game Boy Color: .gb
  • Game Gear: .gg
  • MAME: .zip
  • Master System: .sms
  • Megadrive/Genesis: .smd .md
  • NES: .nes
  • PC Engine/TurboGrafx 16: .pce
  • Sony Playstation 1: .img .7z
  • SNES: .smc .sfc .fig .swc

Você pode alterar as configurações e adicionar mais extensões de arquivos em:

/home/pi/.emulationstation/es_systems.cfg

Lembrando que isto é um exemplo, se você instalou para outro usuário, basta trocar o nome do diretório.

Dentro do arquivo es_systems.cfg basta adicionar na região “EXTENSION” de cada emulador as extensões que desejar, mas sinceramente creio que seria melhor você renomear as extensões das ROMs para obedecer o padrão acima, assim se precisar reconfigurar o sistema não deverá se preocupar em mudar o arquivo novamente.

Se você optar em compilar todos os núcleos, existirão os emuladores Fuse (ZX Spectrum) e uae4all (Amiga), zmachine (Zork) e ScummVM presentes, e talvez logo estarão disponíveis no pacote binário pronto. Sinceramente como estes emuladores possuem seus próprios esquemas de carregamento e interface, prefiro usá-los separadamente. Em um próximo post irei explicar como configurá-los e hospedarei os pacotes prontos, sem usar o esquema do RetroPie.

Finalmente, para executar a interface basta chamar o seguinte comando:

emulationstation

Saiba que o script do RetroPie está em constante evolução, então poderão surgir outros emuladores e a coisa pode crescer ainda mais.

 

E aí, a torta é saborosa?

Neste tópico irei abordar minha experiência pessoal na utilização dos emuladores voltados a arcades e consoles apenas.

A nível geral, achei a interface do Emulation Station bem básica, e até mesmo um pouco precária. Ela poderá pesar um pouco com os temas ao usar o vídeo em FullHD, talvez devido ao escalonamento ou carregamento de imagens de fundo, então prefiro remover os temas ou mando organizar as ROMs (mesmo que já estejam organizadas) para que a configuração volte ao padrão, mesmo que isso deixe o visual bem básico.

Os emuladores que não estão atingindo uma boa performance mesmo com alto índice de overclock, o próprio PetRockBlog diz estar estudando ports alternativos para ver se resolve o problema.

Agora vamos às minhas impressões:

 

MAME (núcleo imame4all)

Muitos jogos da década de 80 costumam rodar bem, salvo alguns casos que o overclock mediano se torna necessário.

Os jogos CPS1 e CPS2 já exigem overclock, e para ter total performance com boa qualidade de som recomendo o overclock turbo, mas como já explicado em um post anterior, não ouse manter o modo turbo sem usar dissipadores e uma fonte de boa performance, caso contrário você poderá ser presentado com travamentos ou corrupção no sistema de arquivos.

No geral os arcades que usam o CPU Z80 e 8 bits similares, a performance é muito boa, mas no caso de arcades que empregam um ou mais CPUs Motorola 68000, aí a coisa pode pesar. Creio que seja algo na emulação deste CPU que ainda não está devidamente otimizado para o ARMv6.

Certos títulos, como alguns da Midway (Mortal Kombat), que demoraram para apresentar boa performance no decorrer do projeto do MAME e exigem um PC mais avançado, talvez nunca rodem com boa velocidade no Raspberry Pi.

Na foto acima usei na verdade o Advance MAME, que atualmente executa mais títulos que o imame4all, mas com performance ainda menor. Para atingir 100% só mesmo com overclock em modo turbo.

Resumindo, dos jogos que rodam muito bem mesmo ser overclock algum, posso citar títulos clássicos como 1942, Black Tiger, Choplifter, Circus Charlie, Commando, Defender, Dig Dug, Donkey Kong, Elevator Action, Frogger, Galaga, Galaxian, Ghost n’ Goblins, Green Beret, Gun Smoke, Joust, Karate Champion, Mario Bros, Moon Patrol, Mr Do, Pacman, Rally-X, Rastan, Rygar, Wonder Boy, Xevious, Zaxxon etc.

 

Sega Master System / Game Gear (núcleo Genesis-Plus-GX)

Emulação simplesmente excepcional, rodando desde as vozes digitalizadas até mesmo o som FM presente em jogos como Altered Beast, Phantasy Star e R-Type.

Todos os títulos testados rodaram com maestria, apenas na execução do processador de som FM é que recomendo um overclock em nível médio para garantir mais precisão.

No geral, se esconder o Raspberry, dá para enganar até mesmo o usuário mais assíduo.

Já no caso do Game Gear, mesmo que a emulação esteja perfeita, a imagem não fica tão boa devido a baixa resolução e as bordas até o momento da escrita deste post apresentavam anomalias gráficas desagradáveis, não sendo possível deixar a imagem ocupando toda a tela.

 

Sega Genesis / Mega Drive (núcleo Genesis-Plus-GX)

A emulação do Mega Drive apresenta uma imagem excelente, mas infelizmente a performance deixa a desejar mesmo com o overclock máximo, apresentando slowdowns e baixa qualidade sonora.

Apesar de ser o mesmo núcleo de emulação do Master System, infelizmente no caso do Mega Drive a jogabilidade é praticamente inviável até a data da escrita deste post.

 

NES (núcleo fceu-next)

A emulação do NES é executava com absoluta maestria e imenso grau de fidelidade. Foram raras as ROMs que não rodaram devido a incompatibilidade com algum mapeamento obscuro.

Todos os canais de áudio, inclusive os digitais, são reproduzidos com seu volume correto e preciso. Recomendo um overclock básico para a perfeita emulação de processadores adicionais presentes em alguns cartuchos, caso dos fantásticos Akumajou Densetsu (Castlevania III) e Journey to Silius.

 

SNES (núcleo pocketsnes)

Para atingir uma boa performance na emulação do SNES, recomendo o overclock mediano. O áudio estéreo roda perfeitamente e os efeitos de vídeo são executados corretamente, porém, em algumas raras circunstâncias as imagens podem apresentar anomalias que não atrapalham na jogabilidade, caso do cenário de fundo do primeiro Donkey Kong Country e da tela de escolhas do F-Zero, que apresentam blocos incorretos de cor.

Mesmo com o overclock máximo não é possível rodar com total performance jogos que utilizem o chip SuperFX, caso do Star Fox e Doom, entre outros.

No geral a emulação é boa, e quando ligado na saída de vídeo composto, na maioria dos jogos é possível ter a sensação de estar apreciando um SNES real.

 

PC Engine / TurboGrafx 16 (núcleo mednafen-pce)

A emulação do PC Engine é muito boa e fiel, com excepcional qualidade de som e imagem. Dos jogos que testei, apenas o Street Fighter 2 CE não foi executado corretamente, sendo que este é o calcanhar de Aquiles para muitos emuladores de PC Engine devido a seu mapeamento específico.

No caso dos raros títulos que utilizam o SuperGrafx, para ter uma execução perfeita é necessário utilizar o overclock máximo, tirando este fato, a maioria esmagadora dos jogos roda com o clock padrão do Raspberry.

 

Playstation 1 (núcleo pcsx_rearmed)

O núcleo PCSX Rearmed é bem otimizado e utiliza técnicas de recompilação dinâmica, sendo uma verdadeira proeza tecnológica ver jogos do PSOne serem executados no Raspberry Pi, mas mesmo assim não dá para fazer milagres.

No caso de jogos 3D intensivos, como a série Crash Bandicoot, infelizmente não é possível executá-los com perfeição mesmo no overclock em modo Turbo.

Em compensação, os jogos 2D chegam a rodar bem com overclock mediano, ou títulos 3D modestos podem rodar perfeitamente em modo Turbo. Neste caso recomendo clássicos como Castlevania Symphony of the Night, Metal Slug, Harvest Moon, Gex e outros do gênero.

 

Outros consoles

Referente a outros consoles que me chamam menos a atenção, irei resumir o resultado dos testes:

  • Atari 2600 (núcleo stella): Emulação perfeita.
  • Game Boy Advance (núcleo vba-next): Apesar da ótima qualidade de imagem, o som e performance deixam a desejar profundamente, mesmo em overclock máximo. O PetRockBlog está analisando a utilização de outro port, cogitando a ideia de que talvez nunca seja possível executar o hardware do GBA com perfeição no Raspberry.
  • Game Boy Color (núcleo gambatte): Emulação perfeita.

Em seu pacote binário pronto o RetroPie também pode rodar o jogo Doom, exigindo apenas os arquivos WADs da versão original ou shareware, mas sinceramente achei a performance e utilização do binaŕio padrão do PrBoom melhor, com resolução mais alta e mais fácil de ser configurado, além de já estar presente nos repositórios do Raspbian. Estes detalhes e outros jogos ficarão para um outro post.

 

Configurações extras importantes

A reprodução de som no Raspberry Pi ainda apresenta alguns problemas em certos softwares devido a imaturidade dos drivers de som frente ao Alsa.

Atualmente não há uma solução totalmente eficiente para todas as anomalias de som que podem surgir. Algumas informações adicionais sobre questões envolvendo o áudio do Raspberry podem ser acessadas aqui.

Em meus testes pessoais e leitura da experiência de vários usuários, cheguei a algumas conclusões referentes aos problemas decorrentes do áudio em relação aos emuladores que o RetroPie utiliza, além de alguns detalhes para configurar o vídeo.

O arquivo presente em /etc/retroarch.cfg contém diversas opções que alteram características na emulação, entre elas destaco as seguintes:

  • audio_driver: Configura o áudio para a saída através do ALSA ou SDL. A qualidade dependerá se estiver utilizando a saída HDMI ou vídeo composto, e de acordo com o emulador, velocidade e overclock aplicado. O padrão SDL pesa um pouco mais na performance em relação ao ALSA, mas você não terá problemas de chiados se a performance da emulação ultrapassar o limite do CPU.
  • audio_out_rate: Ajusta a taxa de reprodução do áudio, ao qual recomendo o número 44100 para a configuração da saída de som via ALSA, mas se for utilizar o padrão SDL a qualidade ficará melhor se usar 48000.
  • video_force_aspect: Deixe como false se quiser que a tela sempre fique preenchida, mesmo que para isso ocorra a distorção de jogos em 4:3 para widescreen. Se estiver usando saída HDMI em resolução FullHD, poderá ocorrer uma pequena perda de performance.
  • video_aspect_ratio: Deixe com o valor 1.33 caso queira que a proporção fique fixa em 4:3, mesmo em telas widescreen. Se usar este valor, mude a configuração video_force_aspect para true.

Se estiver curioso, aqui utilizo a seguinte configuração exclusivamente para a execução através do vídeo composto, aplicando o overclock em modo turbo:

audio_out_rate = 48000
audio_driver = sdl
video_force_aspect = false

Porém, se eu utilizar o overclock em modo turbo na saída HDMI já tive alguns problemas de travamento, então no caso da saída de via áudio e vídeo via HDMI, eu utilizo o overclock médio ou alto (mas nunca em turbo!) com a seguinte configuração:

audio_out_rate = 44100
audio_driver = alsa
video_force_aspect = true
video_aspect_ratio = 1.33

Para se ter uma ideia de como coisa ainda está imatura neste sentido, o que serve para mim, pode não servir para você, mesmo que supostamente estejamos utilizando a mesma placa (WTF!?). Então vale a pena brincar um pouco com estas configurações e descobrir o que pode lhe dar a melhor qualidade frente a performance e estabilidade.

 

Conclusão

O fato é que o nosso querido Raspberry Pi está se desdobrando como um verdadeiro canivete suíço, e creio que é uma questão de tempo para que ele possa alegrar “gregos e troianos”, isto é, seja o apaixonado por computação, eletrônica, modernidade ou antiguidade.

O que pessoalmente posso garantir é que a nível de entretenimento retrô o Raspberry já está com a corda toda, oferecendo uma vasta gama de possibilidades, e se expandindo cada vez mais.

Agora só nos resta ver o que o futuro nos reserva para jogos um pouco mais modernos, já que o port do Quake 3 foi capaz de nos dar um gostinho de quero mais. Nesta vertente, não há dúvidas de que os 512 Mb de RAM introduzidos por padrão daqui em diante serão muito bem vindos.

39 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Mais uma matéria mt elucidativa. E desta vez com uma surpresa fantástica.
    Eu não tenho intento de desbravar um Rasp. Mas eu fico alerta pq o projeto é genial e gera outros projetos geniais.

    Parabéns Mauro.

    1. Opa, muito obrigado!

      1. Mauro, boa noite, o seu artigo estava fantástico, tirou várias dúvidas que eu tinha, muito obrigado.
        Para a minha configuração ficar “perfeita” para o meu uso, estou com um problema. Estou usando o retropie 2.3, comprei um monitor de 1024×768 LCD para rodar em 4:3 os jogos (deixando o mais original possível). A questão é:
        Com o Final Burn Alpha já consegui deixar 100% a tela preenchida, tudo certinho mas com o Mame4all não consigo fazer isso acontecer dentro do emulatorstation, fica com duas bordas pretas nas laterais da tela. Mas quando uso o Mame4all dentro do startx ele funciona corretamente como eu gostaria. O que eu faço? Já alterei muitos parâmetros e nada de arrumar isso.
        Ficarei MUITO agradecido se conseguir me dar uma luz para o problema.

        Obrigado,
        Daniel

        1. Infelizmente não tenho como lhe ajudar pois não possuo mais o Raspberry Pi para ver os locais exatos de configuração, mas no meu caso, sempre que eu tinha bordas pretas era por causa da proporção 4:3 / 16:9 ou resolução que tinha que ser configurada corretamente de acordo com o emulador em execução.

  2. Ótimo post, Mauro. Muito completo e informativo. Parabéns.

    1. Obrigado!

  3. Parabéns Mauro, por mais esse excelente artigo. Comprei meu RPi em agosto justamente com a intenção de desenvolver projetos Retro. Neste último final de semana, instalei o RetroPie seguindo as instruções do PetRockBlog, mas as suas, além de estarem em português são muito bem claras. Estou fazendo testes com o uae4all mas acho que o emulador ainda está muito “crú” para o Raspberry. Você chegou a testá-lo? Outros emuladores interessantes são o Fuse e o OpenMSX – este último não está incluído no RetroPie, mas poderia estar. Parabéns novamente e abraços.

    1. No próximo post irei publicar os pacotes já compilados de alguns emuladores, entre eles o Vice (C64 e afins) e o uae4all (Amiga).

      O uae4all é bem básico mesmo, com o kickstart do Amiga 500 se comporta exatamente como um, mas não encontrei configurações extras. Dá apenas para carregar o jogo e fim de papo.

      Estou explorando algumas possibilidades antes de publicar os pacotes, para ver se dá pra melhorar algo.

      Agora o OpenMSX tá uma f*da de compilar, pois a versão atual do Raspbian está com problemas no som e dá falha de segmentação.

      Pode esperar que teremos muito mais pela frente.

      E obrigado pelo comentário!

      Abraços.

  4. Simplesmente PERFEITO esta matéria sobre o “Pi”.
    Estou com MUITA vontade de adquirir um, espero em novembro conseguir, meu cunhado vai pros STATES e quem sabe consegue um pra mim.
    Bom, nota 1000 pro post, vou guardar nos FAVORITOS para consultas no futuro. Continue assim, suas matérias valem OURO! =^D

    1. Valeu, Fernando!

      Agradeço muito pelo comentário.

  5. Parabéns pelo trabalho, coloquei no favoritos.

    1. Olá. Agradeço pelo prestígio!

  6. Parabéns pelo artigo Mauro, muito bem explicativo. Eu já tinha executado alguns emuladores com sucesso, mas esse script e ‘pacotão’ realmente facilita as coisas.

    Eu não consegui ajeitar o som ainda, após varias tentativas nas telas iniciais dos jogos o som até está ‘limpo’, mas quando começa o jogo ou muda alguma cena é uma chiadeira do caramba. Uso video-composto TV ‘normal’.

    1. Você precisa mudar o som para SDL e colocar a taxa de reprodução em 48000, conforme explica o post. Se usar o ALSA, na primeira engasgada de performance vai ser uma chiadeira infernal.

      O problema do SDL é que ele torna a emulação um pouco mais pesada, então tem que efetuar um overclock pelo menos em nível médio, e se possível, em nível alto. Modo turbo só mesmo para fontes confiáveis e dissipadores nos CIs, e mesmo assim pode correr riscos de corromper o cartão se não fizer a coisa direito. Estou fazendo testes e esperando chegar algumas peças para fazer um artigo somente cobrindo o overclock do Raspberry.

      Obrigado por comentar!

  7. Muito bom o post. Uma outra opção é usar o MK802 (mini PC com Android), que está custando cerca de 50 dólares no ebay.

    1. Realmente, no ebay se encontra o MK802 mais barato que o próprio Raspberry Pi, mas no meu caso prefiro o Raspi pela desenvoltura a nível eletrônico (portas GPIO etc), e principalmente pela comunidade entusiasta que está crescendo em torno dele, isso me faz lembrar alguns micros da década de 80.

  8. Olá Mauro,

    Instalei os núcleos conforme sua orientação no post. Quando tento rodar o Doom (tenho somente os WADs do 1, 2, 3, TnT e prBoom, só consigo acessar a tela de abertura sem som. O menu não funciona!!

    Por acaso teve problema semelhante?

    1. Você irá ouvir somente os efeitos sonoros, para ouvir as músicas tem que instalar os pacotes timidity e fluid-soundfont-gs pelo apt-get.

      Recomendo que você instale e use o prboom / freedom, que a resolução roda mais alta e tem mais opções.

      Instale com estes comandos:

      sudo su
      apt-get update
      apt-get install prboom pmidi fluid-soundfont-gm fluid-soundfont-gs -y

      Depois coloque os WADs em /usr/share/games/doom, então para executar digite:

      prboom -iwad doom.wad

      ou

      prboom -iwad doom2.wad

      Qualquer coisa, é só dar um toque.

  9. Valeu Mauro!!

  10. Cara, muito boa e didática a descrição de como instalar o RetroPie, facilitou muito minha vida. Obrigado!
    Estou com uma dificuldade imensa que é para fazer meus controles usb funcionarem pelo EmulationStation..
    na primeira vez que ele reconhece o controle ele permite fazer o mapeamento das teclas. Acontece que quando fiz o mapeamento uma tecla foi pressionada duas vezes, e agora estou com um dos botões inutilizados e não consigo achar o arquivo de configuração para alterar isso..
    não consigo encontrar o arquivo /.emulationstation/es_systems.cfg
    tentei o retroarch-joyconfig, mas neste caso só funciona quando rodo o emulador pelo retroarch diretamente, se tento ir pelo EmulationStation ele não reconhece as configurações do retroarch

    o que estou fazendo de errado????

  11. perdoe minha ignorancia, consegui encontrar o arquivo.. o problema agora é outro.. sabe como configurar 2 controles pelo es_input.cfg para serem o player 1 e o player 2? os dois controles usb são identicos, mas um deles não está fazendo nada

    obrigado!

  12. Amigo, pq uma ajuda meu emulador de mega Dgen, o jogo fica piscando o tempo todo (qualquer jogo, qualquer verção) até para jogar mas um 10 minutos depois uma dor na vista que dá até dor de cabeça,
    tem alguma cois apara fazer? mudar o hz do emulador para ver se ele para com isso? calquer tecla de comando no meu teclado não dá em nada no emu eu só cpnsigo salvar…
    tentei atualizar o emu tbm mas ja estava com a ultima atualização.

    Abraçoss

    1. O emulador DGen está bem inconsistente mesmo. Para algumas pessoas e roda na boa, e para outras fica cheio de bugs. Para mim, ele só rodou direito usando vídeo composto, e forçando o framebuffer do GPU a 720×480, mas mesmo assim, se rodar alguns emuladores antes, ele fica preto e não roda mais.
      Infelizmente vou te recomendar aguardar até que alguém faça uma compilação mais específica e melhor direcionada para o hardware do Raspberry.

      Abraços.

  13. Mauro Xavier, obrigado por responder
    Na verdade estou tralhando no projeto da minha raspberry á ums 2 meses e nesse tempo percebi que não adianta lutar com a plaquinha ela tem vida própria kkkk
    Vou fazer alguns comentário que acredito que pela minha experiência inicial ajude novatos a completar seu tutoria, o que gostei da retropie é do seu instalação automática, configurei a ums 3 anos um programa semelhante á ela para Pc’s chamado hyperspin, quem conhece sabe o trabalho manual que é adicionar fotos de capinhas e ter que organizar as roms tudo manualmente.

    Infelizmentemesmo automático com o retropie ainda estou tendo problemas como falei anteriormente, meu emulador de mega pisca pisicodálicamente na tela (usando cabo hdmi, não testei ainda a outra saída de vídeo), meu emulador de mame, atari, snes e Nintendo não recendesse por nada o controle de xboxe os emuladores de máster system e c64 não funcionavam por conta que o diretório estava errado.
    O desempenho do Playstation e neogeo me impressionaram.

  14. Parabéns! Excelente tutorial. O Raspberry funciona bem em televisores Pal-M?

    1. Sim, funciona perfeitamente em PAL-M, basta você editar o arquivo config.txt da partição FAT32, colocando a opção sdtv_mode=3.

      Veja mais informações aqui:
      http://elinux.org/RPiconfig#Video_mode_options

      1. Mesmo configurando essa opção, minha tv PAL-M fica P&B.
        Tem que configurar mais alguma coisa para deixar colorido?
        vlw!

        1. Testei aqui numa TV que só pega PAL-M também e foi na boa. As diferenças de configuração seguem abaixo:

          sdtv_mode=3
          sdtv_aspect=1
          sdtv_disable_colourburst=0

            • Carlos em 14 de agosto de 2013 às 20:33

            Com essas configurações também fica P&B

            Não sei se tem alguma coisa a ver, mas quando executo o comando tvservice -s, o resultado é esse:
            state 0x80001 [PAL 4:3], 720×576 @ 50Hz, interlaced

          1. Tem algo errado aí, porque o PAL-M é 60Hz. Você está usando o sistema todo atualizado? Qual é a distribuição Linux?

  15. Estou usando a versão 3.6.11, baseada no debian, que veio no sd que comprei junto com o RPI. Será que é melhor reinstalar tudo?

    Porque agora o emulationstation não está rodando. Quando eu entro com o comando, só fica um ponto na tela e trava o sistema, não funciona teclado e joystick. Aí eu tenho que desconectar da energia direto.

    1. Recomendo que baixe e instale a última versão do Raspbian “wheezy”:
      http://www.raspberrypi.org/downloads

      Alguns tutoriais para instalar o sistema:
      http://elinux.org/RPi_Easy_SD_Card_Setup

      1. Vou tentar com essa versão depois. vlw!

        Mas você conseguiu configurar o modo Pal-M com cores mesmo? Sua TV não estava no modo automático?

        Pois eu tenho outra TV compatível com o formato Pal-M e NTSC e quando deixo no Automático fica colorido, mas quando mudo para Pal-M fica P&B (mesmo configurando o RPI em sdtv mode 3).

        A minha placa é modelo B de 512M.

        1. Hum… O meu Raspi é a versão antiga, de 256Mb ainda. Eu testei numa TV tão velha que sequer tinha mudança de sistema, é só PAL-M mesmo.

          Tente “brincar” com os outros modos sdtv… Quem sabe sua TV não acaba “indo com a cara” de um deles?

            • Eric em 15 de dezembro de 2014 às 14:53

            Onde eu posso fazer Download dos Roms? Não achei em lugar nenhum.. Uma outra dúvida, foi que fiz a instalação usando a img com o RetroPie instalado, mas logo que entra pede pra configurar os controles (Eu vou usar o Teclado mesmo). Mas após configurar as Teclas que quero usar ele não deixa eu pressionar o OK…

          1. Não tenho mas meu Raspi, e pelo jeito mudaram a interface de configuração, pois quando eu usava não havia este problema.

  16. Olá grande Mauro, e a todos do canal. tudo bem?
    Cara, estive pesquisando muitas coisas e lembrei de você e seus posts. Então ao ler esse artigo inteiro em detalhes consegui avançar e fazer funcionar meu raspi. Ainda não consegui configurar todos os emuladores descritos, porém estou fazendo o que mais me interessa. Cara, ao ver o emulador do Apple ][ foi muito emocionante,,rs. Com mais tempo irei testar meus arquivos dsk. Seu artigo e dicas foi muito importante para aprender, conhecer e fazer funcionar minha plaquinha que chegou essa semana da china pelo site Aliexpres. Valeu

  17. Ao Eric ou a quem possa interessar. Caso não consiga utilizar o teclado no EmulationStation, instale o libudev-dev (sudo apt-get install libudev-dev)

  18. Gostaria de saber como tiro as duas faixas pretas na vertical, nas bordas da tela, pois minha tela não tem o recurso do zoom.

    Também gostaria de saber como faço para voltar ao menu dos jogos, pois depois de entrar em um jogo, nao consigo sair, assim tendo que resetar o sistema.

Deixe uma resposta