Retrospectiva: 1 ano de Casa dos Nerds!

Pois é, meus amigos, há exatamente um ano atrás, no dia 18 de outubro de 2011, tomei a decisão de transformar o site comercial de uma empresa falida em um blog sobre minhas experiências pessoais de retrocomputação, mas nunca imaginei que em um único ano tantas coisas pudessem acontecer neste sentido.

Aplico aqui a frase típica: “parece que foi ontem!”

 

O começo que teve início pelo fim

Para quem não sabe, o domínio e nome deste site pertencia a um sonho pessoal que chegou a existir fisicamente como uma empresa, verdadeiramente chamada “Casa dos Nerds”, vulgo CdN, ao qual conto boa parte da história em um longo post (pra variar).

E depois da falência que me deixou quase na miséria, senti em minha garganta por meses a fio o amargo sabor do fracasso, mas o nome “Casa dos Nerds” ainda estava costurado em meu coração.

Então como uma terapia, acabei mantendo o nome e criando um novo site, me dedicando a escrever somente sobre aquilo que gosto, que por sinal envolve principalmente retrocomputação, mas não exclusivamente.

 

Entusiasmo e sorte

Não posso dizer que não tive boa sorte no decorrer deste ano, afinal, por um certo tempo deixei como objetivo particular conseguir uma série de microcomputadores antigos de modelos específicos, verdadeiros sonhos de consumo de minha infância e adolescência.

Achei que levariam anos a fio para ao menos conhecer todos os micros que gostaria, e para minha surpresa cheguei a tê-los em meu acervo, seja por sorte ou até mesmo através de situações insólidas como se as máquinas caíssem no meu colo.

Quem leu meus textos no decorrer deste ano, sabe do que estou falando, mas para quem não leu, vale a pena conferir as plataformas que já passaram em minhas mãos, incluindo os acessórios, modificações e manutenções que realizei em cada uma delas.

Se alguém me perguntasse qual dos micros tenho saudade e qual deles me fez mais feliz, a resposta seria a mesma… Meu original e maravilhoso Apple //e:

A plataforma Apple foi e ainda é a que me desperta mais atenção e entusiasmo, não apenas pela magia que envolve a história da concepção da máquina, mas também pelo carinho especial que tenho pelos membros da comunidade brasileira de Applemaníacos, que tive a honra de conhecer parte deles em um evento em SP:

Agora vem uma justificativa em forma de confissão… Muitos que acompanham as listas da Yahoo referentes a microcomputadores antigos acham que vendi meu Apple //e exclusivamente para comprar um Amiga 1200, mas na verdade vendi a máquina com plena consciência de que todos os micros teriam que ser vendidos, então me dei a oportunidade de conhecer mais uma máquina para poder usá-la ao máximo e assim escrever sobre ela antes de encerrar meu próspero e curto reinado retrocomputacional.

 

Vem fácil, vai fácil?

Em resumo, consegui vários micros muito rapidamente, mas não imaginava que tudo acabaria tão rápido.

Talvez alguém diga que não tive sorte, pois me vi em uma situação que fui praticamente obrigado a vender todas as máquinas, mas não vejo nada disso como azar. Os momentos de tempestade fazem parte da vida, e tenho que agradecer a Deus por ter algo que podia ser vendido em um momento tão necessário.

Alguns me perguntaram que motivos me levaram a vender todas as máquinas, e posso resumir dizendo que a saúde, conforto e bem estar da minha família sempre estarão em primeiro lugar, e creio que todos devem concordar comigo. Depois que a tempestade passar, talvez eu vá atrás dos micros que realmente me deixaram saudade.

 

Mas valeu a pena?

Não só valeu a pena, como ainda vale. Posso não ter mais as máquinas, mas ganhei vários amigos de verdade, pessoas que fazem toda a diferença, além de ter conseguido estabelecer um espaço que escrevo coisas que são lidas e apreciadas.

São tantas pessoas importantes que não cometerei a injustiça de citar nomes para não esquecer de ninguém, mas posso citar rapidamente alguns casos que comprovam como conheci gente excepcional que fez valer a pena:

  • Foram incontáveis os e-mails trocados com pessoas que me ajudaram a resolver todos os defeitos que encontrei em minhas máquinas.
  • Comprei várias peças a preço de custo através de pessoas que apenas queriam me ajudar a melhorar ou consertar uma máquina.
  • Recebi muitas mensagens amigáveis em momentos tempestuosos de minha vida, de pessoas que mal me conheciam. O incrível é que eram mensagens que passavam uma sinceridade tão profunda que me consolava.
  • Em momentos de desânimo, o companheirismo e mensagens de apoio me levantaram inúmeras vezes, e mais uma vez, vindas de pessoas que mal me conheciam.

E o que mais me surpreendeu:

  • Quando eu estava no ápice de tempestade vendendo todas as máquinas, recebi uma quantia considerável pela venda de um microcomputador antigo, mas quando pedi o endereço para enviá-lo, o comprador disse que na verdade não queria o micro e pediu para que eu ficasse com o dinheiro como crédito para manutenções futuras… Eu tentei recusar, mas a boa vontade e confiança da pessoa era tanta que era impossível fazer esta desfeita.

Enfim, estas são apenas algumas situações, então como poderei dizer que não valeu a pena até agora? Posso afirmar que não escrevo mais apenas por mim ou como uma terapia pessoal, agora escrevo porque me sinto em dívida com uma comunidade que merece o melhor que eu puder fazer por eles.

 

Parceiros

Além de amigos de verdade, encontrei também grandes parceiros, que mesmo quando meu site estava no começo da empreitada, aceitaram trocar banners e até hoje acabam por me enviar visitantes. Estes não preciso citar, basta ver na lateral do site para conhecê-los.

E ainda estão surgindo outros sites que divulgam a Casa dos Nerds espontaneamente, e isso ao meu ver é prova de que o objetivo está sendo cumprido a ponto de criar interesse público para ser recomendado por outras pessoas. Para mim tudo isso é muito gratificante e agradeço aos envolvidos por toda e qualquer divulgação.

 

Lojinha do Moises

Não teria como fazer uma retrospectiva da Casa dos Nerds sem falar da presença do Claudio Moises. Ele é um cara simplesmente incrível e quem o conhece passa imediatamente a admirá-lo pela sua simplicidade e honestidade, e principalmente, é impossível não se divertir com o estilo descontraído e amigável de suas mensagens.

Na foto abaixo veja da esquerda para direita: Mauro Xavier (eu), Cláudio Moises e o Lisias Toledo, que por sinal este último é um formidável “doido de pedra” e um gênio escovador de bits.

O primeiro contato que tive com o Claudio foi através da lista AppleII_br, ao qual começamos a sintonizar um estilo semelhante de personalidade e objetivos.

Depois de um certo tempo trocando e-mails muito bem humorados, surgiu a ideia de hospedar a Lojinha do Moises, que no começo ficou hospedado junto com a Casa dos Nerds, mas agora está em um domínio próprio.

E já que estou “lavando roupa” neste post, preciso contar uma coisa que aconteceu várias vezes e foi motivo de boas risadas entre eu e o Moises. Dá pra acreditar que fomos confundidos várias vezes?

Imagine a situação quando eu recebia e-mails sobre interessados em réplicas de caixas ou fui até mesmo parabenizado pelo excelente trabalho nas reproduções, ou quando mandavam e-mails para o Claudio o chamando de Mauro. Tudo bem que já estávamos acostumados e até tentei esclarecer com um texto bem exposto na área de contato (quando a Lojinha estava dentro do meu site), mas não adiantou muito, continuavam me chamando de Moises (que pra mim é um elogio).

Depois de tudo isso pensamos em fazer uma dupla sertaneja, talvez iremos misturar nossos nomes e fique como “Mauro Moises e Claudio Xavier”, ou talvez “Mauro e Moises” (Tá, eu não podia perder a piada).

 

E hoje?

Atualmente estou me sentindo realizado, pois graças a experiência que tive com todas as plataformas retrocomputacionais que fui capaz de conseguir durante este período posso escrever de forma mais precisa sem me basear somente no que os emuladores são capazes de reproduzir. E como sempre digo, por mais que eu admire os emuladores, só o hardware real é capaz de transmitir a sensação plena da máquina.

Daqui em diante o site deverá passar por mudanças gradativas para abraçar outros estilos e temas, mas nada que venha a ferir sua alma retrô, pelo contrário, creio que só irá agregar mais informações ao contexto.

E como não podia faltar, deverei também voltar a incluir alguns comentários pessoais sobre certos assuntos, como já fiz em posts como “Retrocomputação e ecologia x Consumismo” e “Retrocomputação: Hobby, vício ou estilo de vida?“, que causaram uma boa receptividade pública.

E posso dizer sinceramente, acho que no fundo estou limpando minha alma, porque em alguns momentos me comportei como um verdadeiro compulsivo em retrocomputação, pois certas vezes cheguei a gastar o que não podia. Creio que agora estou mais sereno e passei a pensar duas vezes antes de fazer bobagem.

 

Parabéns!

Agradeço imensamente a todos que tiveram uma imensa paciência em ler o que escrevo, e peço que continuem exercitando este dom ao acessar meu site, pois no que depender de mim, não deverei pendurar as chuteiras tão cedo.

Este site não existiria sem meus amigos leitores, então só tenho a finalizar dizendo:

“Parabéns para a Casa dos Nerds, parabéns a todos vocês!”

PS.: Há muito o que ser escrito, muito o que ser feito e muito mais a ser descoberto…

24 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Parabéns Mauro e que esse seja só o primeiro aniversário de muitos que ainda virão. Aproveito para parabenizá-lo tambem quanto ao conteúdo do site, sempre com artigos interessantes sobre retro-computação.

    1. Puxa, é uma honra ver um comentário seu por aqui, admiro muito seu profissionalismo e seus projetos.

      Seu site foi sem dúvida a maior inspiração para eu começar a escrever sobre retrocomputação e ter coragem de pegar em um ferro de solda depois de anos sem mexer com eletrônica.

      Agradeço muito suas palavras!

  2. Meus parabéns, Mauro, você merece! Seus textos são fantáticos e muito completos!

    1. Nossa, vindo de você é um elogio e tanto, pois também te considero um grande escritor e historiador, além de apreciar muito a revista digital Jogos 80.

      Um grande abraço!

  3. SENSACIONAL….. Realmente parece que foi ontem…
    Obrigado pela homenage. Realmente fiquei com olhos cheios d’agua!
    Abraços

    1. Você merece cada gota de crédito, pois não é para mim apenas um grande parceiro, é um irmão. Isso já fez valer este ano de Casa dos Nerds.

      Abraços!

  4. Puxa. Legal saber a história do site.
    Por acaso, estou começado meu modesto blog de reviews de retro games no mesmo período no qual você completa um ano do site Casa dos Nerds.
    Espero ter a mesma sorte. 😀

    Parabéns e obrigado pelo ótimo conteúdo que ele nos oferece.

    Ps.: Mais adiante pretendo ler a matéria da empresa. Comecei a ler mas tenho que sair agora.

    Abraço Mauro.

    1. Pois é, para ler o que escrevo o negócio é ter tempo, porque tenho que admitir que extrapolo um pouco 😉

      E gostei muito do teu site, está bem legal, não tenho dúvidas de que irá longe.

      Abraços.

  5. Meus parabéns à Casa dos Nerds e a você, Mauro!
    Já passei por várias tempestades como as suas, e sei como é dolorido abrir mão de nossos micrinhos. Mas, como você já sabe, vão-se os micros e ficam os amigos que foram conquistados através deles, provavelmente este sim era o propósito principal, realmente Deus não faz nada errado (apesar das linhas serem tortas) :).
    Continue assim, e espero um dia ter a honra de te conhecer pessoalmente! Que tal na MSX-Jaú?
    Abraços,
    Rudolf

    1. Pois é, Jaú não é tão longe da minha cidade, estou devendo uma presença faz tempo a um evento exclusivo de MSX… Quem sabe no próximo?

      Agradeço também pelo comentário, são palavras assim que me fazem ter força para seguir em frente.

      Abraços!

  6. Primo! Este é só o primeiro ano do seu blog e já trouxe tantas coisas boas! Que venham muitos e muitos anos, de transformações, informações e amizades duradouras, que você merece!

    ps. Pedi ajuda pro Ricbit pra responder o captcha do seu site, hahaha. #burra

    1. Puxa, obrigado pela visita, minha prima! É impossível não ficar lisonjeado só pelo fato de saber que você leu algo por aqui 😉

      Ahhh, agora essa do Ricbit ajudando no captcha pra você? Que cor que está teu cabelo? _ _’

      Um grande abraço!!

      1. Ahhh nunca fui boa de matemática, cê sabe disso! hehe

        1. Em compensação, pra desenhar… 😉

  7. Mauro, acho que posso falar em nome dos meliantes que cometem o Retrocomputaria, que é o nosso parabéns pelo seu primeiro ano de Casa dos Nerds – o blog. Seu site é uma referência para nós, e sempre que possível, comentamos dele na seção de notícias do nosso podcast. Afinal, quem tem paciência e capricho para fazer resenhas e análises tão longas e detalhadas sobre o que for relacionado à nossa paixão, que é a retrocomputação? Sei muito bem o trabalho que dá escrever – e bem – sobre um assunto, mesmo aquele que gostamos tanto. Aliás, aí piora, pois queremos ser mais detalhados, e gastamos mais tempo… Pffff… Ah, você entendeu.

    Além disso, através do CdN conhecemos o Cláudio Moisés, figura ímpar e capaz na arte da reprodução de caixas. Vários da comunidade MSXzeira carioca e fluminense já cederam caixas para que ele copiasse e reproduzisse, e o trabalho dele é inigualável.

    Novamente parabéns, e que o sucesso do site seja estendido à sua vida pessoal (e financeira). Um abraço, Ricardo.

    PS: E vê se dá uma fugida em Jaú esse ano, vai. 3/5 da gangue lá estará reunida.

    1. Meu amigo, agradeço muito sua mensagem, que além de esclarecedora, me deixou muito orgulhoso e feliz.

      Não são todas as pessoas que imaginam o quanto é difícil escrever textos longos e manter o ritmo da coisa, só mesmo quem está na área para entender.

      Graças a Deus ainda não me jogaram pedras pelo tamanho imenso de alguns posts, mas sei que uma hora isso pode acontecer, então a maior parte do tempo gasto em pesquisas e para ler e reler o texto antes de postar a fim de manter o conteúdo agradável aos olhos. E olha que muitas vezes volto no texto depois de postado e ainda modifico, adiciono e corrijo mais coisas, só por puro preciosismo mesmo.

      E pode deixar, estou seriamente tentado a ir em Jaú este ano… E por falta de um micro antigo, quem sabe levo o Raspberry Pi emulando um MSX perfeitamente, mas te digo, está um PARTO conseguir esta proeza com boa performance…

      Grande abraço!

  8. Parabens Mauro pelo site com excelentes artigos e materias !

    Abraços

    David

    1. Obrigado!

  9. Parabéns Mauro pelo post e pelo site/blog, porque não um site, já tem tanta informação por aqui. Mas enfim, cheguei aqui por um acaso (Google) e até o momento não consegui ler todo o conteúdo, pois é muita informação e diga-se de qualidade.

    Até pouco tempo, pensava que apenas eu havia vendido algum computador antigo por alguma causa e depois se arrepende se, não é o seu caso, mas também sente certa saudade, o que também é o meu caso. Sem duvida, todos nós da retrocomputação, temos algo em comum, e uma história parecida, lembro-me de iniciar nesse “mundinho” a uns 6 anos atrás quando comprei meu primeiro MSX, diferente de muitos eu não tive um MSX na infância e sim depois dos 20 anos =D e mesmo assim, foi uma máquina que me mostrou muita coisa e que tive paixão a primeira vista, não sei explicar o porque, mas foi assim.

    Aprendi a programar o pouco de BASIC que sei, em uma dessas maquinas e até hoje brinco com os emuladores, afinal não é para qualquer um ter uma máquina real e o Raspberry Pi aos poucos nos trás isso de volta, ter de poupar cada byte de informação, buscar o conhecimento para funcionar, nos trouxe essa nostalgia do que era ter de esperar sair uma revista ou atualmente, entrar em um site e ficar esperando a resposta de um post, que talvez algum “iluminado” irá te responder.

    Diferente de muitos aqui, minha nostalgia busca mais a evolução destas máquinas, sempre gostei da história das coisas, tanto que hoje estou fazendo faculdade de história e quando conheci o MSX, não consegui resistir, unir duas coisas que gosto!!! História com o cheiro de estanho!!! Aprendi inúmeras coisas nos fóruns do mesmo tanto, que hoje faço inúmeras experiências na parte tanto de programação quanto de hardware mesmo.
    Enfim, espero logo ver algum post não só sobre os consoles, como foi o post RetroPie mas também de computadores e como é a emulação do mesmo. Tambem, e sem duvida, que muitos outros anos venham para a Casa dos Nerds!!!

    Grande abraço e até o próximo post.

    1. No momento o Raspberry já emula perfeitamente o ZX Spectrum e Commodore 64, com certa fidelidade também o Amiga 500. A emulação do Apple //e tem seus altos e baixos e no caso do MSX ainda não cheguei num patamar de qualidade desejável.

      Assim que eu conseguir afinar o que for preciso, irei publicar e hospedar os pacotes um a um, com direito a tutoriais e detalhes.

  10. Ah Mauro!
    “…mas nunca imaginei que em um único ano tantas coisas pudessem acontecer neste sentido.”
    Deixa disso vai !
    Se tem 2 coisas que eu sei sobre você, é que:

    1ª) Você é um “Midas” moderno. Enquanto faz o que gosta, a chance de tudo que você toca virar ouro é grande.
    2ª) Você nunca vai perder a mania do “ao qual” ! hahahahaha

    Tirarando a zoação de lado, Parabéns aí! É difícil a jornada, mas o importante é a perseverança!
    Um Abraço!

    1. “Ao qual” é clássico, faz parte da minha escrita, e todas as vezes que repito demais, lembro de você 😛

      Até tocar e virar ouro não é problema, o duro é que quando vou gastar o ouro depois ele vira m*rda…

  11. Oi Mauro!

    Nao eh problema escrever muito nao, eu gosto de ler posts bem feitos. =)

    Devoro, leio inteirinho. =)))

    Com o mesmo carinho que vc produz, eu consumo. =)

    Abracao!
    Rodrigo Cesar

    1. Eita, assim me inspira para escrever novos posts “bíblicos” 😉

      Abraços!

Deixe uma resposta